Você tem o sonho de ser o dono do próprio negócio, mas tem dúvidas sobre como abrir uma empresa? Afinal, são muitas variáveis envolvidas, não é mesmo? Desde a definição do tipo de empresa, a viabilidade da marca, onde instalar o ponto de venda, quanto de capital é necessário para a abertura, sem se esquecer de toda aquela carga burocrática de documentos necessários para formalizar um negócio.

Todavia é melhor ir se acostumando com essa variedade de itens a serem geridos, pois essa gestão empresarial faz parte do cotidiano de qualquer empreendedor. Então mesmo depois de abrir o seu negócio, você continuará a tomar decisões diversas a todo instante.

Para evitar erros nessas decisões desde o início, nesse conteúdo vamos explicar em 9 passos como abrir uma empresa. Boa leitura!

1. O que você precisa saber antes de abrir uma empresa

Antes de abrir uma empresa, você precisa saber que essa é uma decisão que não deve ser tomada no impulso. Você precisará planejar e ter um pouco de paciência para lidar com alguns processos necessários à formalização de um negócio.

Além disso, é importante entender que você não estará sozinho nesse processo. É interessante contar com a ajuda de um contador e até um advogado. É melhor ter o apoio desses profissionais especializados desde o início para evitar erros.

Para tirar a sua ideia do papel, você precisa sistematizá-la em outro papel. Parece um paradoxo não é mesmo? Mas é bem simples. O que queremos dizer é que antes de se preocupar com a papelada e outros trâmites, é essencial dedicar um tempo para elaborar o plano de negócio. É sobre isso que vamos tratar no próximo tópico.

2. Faça um plano de negócios

Qual é a sua proposta de valor? Quem é o seu cliente? Quem são os concorrentes? Por que o cliente escolherá você e não o concorrente? Essas são algumas questões que podem ser respondidas com a construção de um plano de negócios.

Com ele, você vai conseguir detalhar e definir melhor quem é o seu público-alvo, quem são os concorrentes, pensar em um planejamento financeiro com metas que resultem em lucros, definir quais estratégias de marketing devem ser usadas de acordo com o perfil do seu cliente, e ainda entender qual é o seu posicionamento de mercado.

O empreendedor que se dedica a elaborar um bom plano de negócios vai para o mercado mais preparado do que os outros, e isso pode representar uma vantagem competitiva, afinal, segundo o SEBRAE, 50% dos negócios fracassam por falta de planejamento.

Para elaborar um plano de negócios, é preciso dedicar um tempo a pesquisar sobre todos os aspectos que estarão envolvidos no dia a dia do seu empreendimento. No plano de negócios você terá definido todos os passos para a concretização do seu sonho, ele servirá como um manual para o seu negócio, facilitando as decisões estratégicas, táticas e operacionais.

Então, se você quer fazer as coisas certas desde o início e evitar erros, minimizando os riscos, o ideal é elaborar um plano de negócios bem completo. Ele vai fornecer as diretrizes para a sua empresa alcançar o sucesso. Falando nisso, é importante saber em qual tipo a sua empresa será enquadrada.

3. Conheça os tipos de empresa e regimes tributários

Um dos principais motivos que dificulta a abertura de uma empresa é o excesso de burocracia. Por isso, é importante conhecer as especificidades de cada tipo de empresa para assim entender o regime tributário.

O primeiro passo é identificar qual será a atividade do seu negócio: uma indústria, um comércio varejista, um comércio atacadista ou uma empresa de prestação de serviços? Dentro dessas grandes áreas ainda existem várias ramificações, que são os segmentos – de alimentos, confecção, produção, entre outros.

Com essa definição, fica mais fácil entender em qual tipo jurídico o empreendimento vai se enquadrar. Atualmente, no Brasil temos os seguintes tipos:

  • Microempreendedor Individual (MEI);
  • Empresário Individual;
  • Sociedade Empresária Limitada;
  • Sociedade Simples Limitada;
  • Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli);
  • Sociedade Anônima (SA).

Dentre esses tipos, o MEI é o mais simples, e o registro pode ser feito via internet, pelo Portal do Empreendedor, sem precisar de nenhum procedimento burocrático presencial.

Para se registrar como MEI, o seu faturamento não pode exceder R$ 5.000, 00 por mês. Além disso, com esse cadastro não é permitido ter sócios, mas o titular pode contratar  um funcionário. 

Se você não se enquadrou nesse tipo, pode verificar as condições para abrir uma Microempresa. Esse regime aceita ter sócios e pode faturar até R$ 360.000,00 anualmente.

Com a Microempresa, você pode atuar em três tipos de regimes jurídicos. O primeiro deles é o Empresário Individual. Nesse caso, o seu patrimônio fica comprometido em caso de dívidas da empresa. O capital social mínimo para abrir esse tipo de empresa é de R$ 1.000, 00.

Seu estabelecimento também poderá ser enquadrado como EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada). Nesse caso, como o próprio nome já diz, a responsabilidade em relação as obrigações da empresa não compromete o seu patrimônio pessoal mesmo você sendo o único sócio.

Mas, é importante saber que para abrir uma EIRELI, o capital social mínimo é bem superior aos outros tipos, sendo de R$ 93.700,00.

Temos também a Sociedade Limitada, mais conhecida pela sigla LTDA ao final da razão social. Essa deve ter dois ou mais sócios e ambos devem contribuir para a formação do capital social. Além de determinar sobre o capital social e o número de sócios, entenda o que esses enquadramentos podem definir em relação aos tributos.

Por fim, existem as SA (Sociedades Anônimas), que precisam ter dois ou mais sócios e o capital é dividido em ações. A responsabilidade de cada acionista corresponde ao preço das ações.

Essas empresas podem ter o capital fechado, ou abrir seu capital para a bolsa de valores. Nesse caso, as ações são comercializadas junto ao público interessado em participar. Você deverá pensar nesse tipo de empresa no momento em que decidir por uma expansão empresarial.

3.1 O regime tributário

Falar em regime tributário significa dizer o quanto a sua companhia terá de pagar de impostos. Atualmente no Brasil, existem três regimes de recolhimento de impostos de pessoa jurídica. São eles:

  • Simples Nacional;
  • Lucro Presumido;
  • Lucro Real.

Vamos explicar cada um deles agora.

Simples Nacional

Com o regime Simples Nacional, todos os oito impostos são cobrados em uma guia única, sejam eles Municipais, Estaduais ou da União. Por ser mais simples, essa é a opção mais escolhida dentre as microempresas. Esse é o regime adotado obrigatoriamente para o registro de MEI e facultativamente para algumas microempresas.

Lucro Presumido

No caso do Lucro Presumido, os impostos são cobrados separadamente (cinco guias: IRPJ, CSL, PIS, INSS e COFINS) e são calculados a partir do lucro presumido em relação a percentuais (em torno de 12% e 17%) da receita operacional bruta. As empresas que se enquadram nesse regime são aquelas que faturam até R$ 78 milhões de reais por ano.

Lucro Real

Com o regime Lucro Real, a empresa é cobrada em relação ao seu lucro. Ou seja, ela comprova quais são as suas receitas e despesas mensalmente e os impostos relacionados ao IRPJ, CSLL, PIS e COFINS são calculados com base no lucro comprovado da empresa.  

Dependendo da atividade e do valor da receita bruta anual, algumas empresas não podem escolher o Simples Nacional, e acabam tendo que aderir ao Lucro Real. Esse é o caso de instituições financeiras e outras empresas que faturam acima de R$ 78 milhões por ano.

Mesmo depois destes esclarecimentos sobre o tipo de empresa e regime tributário, você ainda tem dúvidas em relação ao enquadramento da sua empresa? Vamos dar uma dica de ouro: conte sempre com o auxílio de um contador.

4. Preciso de um contador para abrir uma empresa?

No caso do MEI, não é obrigado ter um contador. Para os demais tipos de empresas, os Conselhos Regionais de Contabilidade exigem que se tenha uma profissional da contabilidade vinculado para acompanhar a empresa.

Mas, para o processo de abertura de uma empresa, não é obrigatório procurar um contador. Entretanto, é indicado buscar a ajuda desse profissional para evitar erros de iniciante. Afinal, eles são especialistas nesses assuntos burocráticos. Com a ajuda desse profissional, você vai poupar o seu tempo e evitar erros que poderiam prejudicar o seu negócio.

Poder contar com um contador como parceiro é essencial em todas as fases do seu negócio, então, a recomendação é buscar por um profissional de confiança para que essa parceria seja benéfica para ambos os lados.

Entenda que nenhum empreendedor alcança o sucesso sozinho. Você terá que contar com várias alianças estratégicas e parcerias ao longo do seu negócio. Isso vale não só em buscar um contador, como também um advogado e outros especialistas. 

5. Quanto custa abrir uma empresa?

Um dos aspectos que mais preocupam um empreendedor que está abrindo a sua empresa é saber quanto de capital deverá ser investido nesse momento.

Como você já viu no tópico anterior, alguns regimes exigem um valor mínimo de investimento inicial. A exceção dessa regra é o MEI. Nesse caso, não é preciso ter custos iniciais para abrir esse tipo de empresa, o empreendedor deverá apenas pagar uma contribuição mensal em torno de R$ 50,00.

Entretanto, esse investimento inicial pode variar muito em relação ao tipo e o porte do negócio, a localidade, o segmento, mas alguns estudos já chegaram a conclusão que esse valor costuma ficar em torno de R$ 2.000,00.  

Além do valor das taxas de alvarás e outros documentos, você deve colocar na ponta do lápis o valor do aluguel, as reformas do ponto e a compra do mobiliário e outros equipamentos, os honorários do contador, todas estes gastos devem ser pensados, pois o desembolso ocorre antes mesmo de iniciar as atividades.  

Para que você fique ciente de tudo o que é necessário para abrir uma empresa, vamos falar agora sobre os documentos.

6. Documentos necessários para abrir uma empresa

Muitas vezes, quando pensamos em abrir uma empresa, logo vem a ideia de conquistar o CNPJ e já começar a trabalhar. Mas existem outros documentos que são essenciais antes de arregaçar as mangas. Vamos falar sobre eles. No Brasil, para começar as atividades, uma empresa precisa estar inscrita junto ao município, ao estado e à União. Assim, para começar são necessários os seguintes registros:

  • registro na Junta Comercial;
  • registro na Receita Federal do Brasil (CNPJ);
  • registro na Prefeitura (alvará de funcionamento e ISSQN);
  • registro na Secretaria Estadual da Fazenda (Inscrição Estadual).

Alguns documentos podem variar em relação a região ou segmento de um negócio. Para isso, é importante verificar junto aos órgãos responsáveis e contar com o seu parceiro contador para não deixar nenhum documento faltando.

7. O que fazer para abrir uma empresa?

Vamos explicar melhor sobre outros documentos exigidos para que um empreendimento comece a funcionar.

7.1 Contrato social

Costuma-se dizer que o contrato social é a certidão de nascimento de uma empresa. Ele deve ser elaborado com muita cautela, pois é nele que estará definido qual é o objeto, o ramo da empresa, qual o seu regime tributário, quem são os sócios e como está resolvida a composição do capital social, deixando clara a responsabilidade de cada um.

Feito isso, você deverá registrá-lo na Junta Comercial do Estado ou no Cartório de Registro de Pessoa Jurídica.

7.2 Registro na junta comercial

Com o registro na Junta Comercial, você pode considerar que a sua empresa passou a existir oficialmente. Esse registro é feito antes mesmo da obtenção do CNPJ. Nesse momento, você deverá se preocupar com a viabilidade do nome escolhido para a sua empresa. Deve-se verificar se não existe outra empresa com o mesmo nome.

7.3 NIRE

O segundo passo consiste em preencher uma Ficha de Cadastro Nacional para receber o NIRE (Número de Identificação do Registro da Empresa)

7.4 CNPJ

Com o NIRE em mãos, você poderá solicitar o cadastro CNPJ no site da Receita Federal. Isso precisa de uma etapa presencial também, você deverá se dirigir a uma unidade desse órgão para entregar os documentos.

7.5 Inscrição municipal

Após o registro da empresa na Junta Comercial, é necessário fazer o cadastramento dela na prefeitura do município onde está localizada. Com isso, você obterá o registro de identificação municipal. Essa é a permissão de funcionamento. Esse número de inscrição aparece no alvará de funcionamento. Com essa inscrição, você poderá emitir notas fiscais, solicitar alvarás e requerer o enquadramento no Simples Nacional.

7.6 Alvarás e licenças

Relacionados à inscrição municipal estão os alvarás e outras licenças. Para o seu negócio funcionar, você precisa de alguns desses documentos. Normalmente são feitas vistorias para ver se o local cumpre as exigências necessárias.

A necessidade de ter esses documentos também varia de acordo com a atividade da empresa. Por exemplo, em empresas que exercem atividade industrial, metalúrgica, química, têxtil, e atividades agropecuárias, é preciso obter a licença ambiental junto ao IBAMA ou órgãos de meio ambiente.

Já as empresas do ramo da alimentação, medicamentos e cosméticos precisam da licença sanitária, obtida em órgãos de vigilância sanitária para funcionar. Todas as empresas precisam passar pela vistoria do Corpo de Bombeiros, para garantir que estão cumprindo as normas de segurança.

7.8 Inscrição estadual

Nem toda empresa precisa ter a inscrição estadual. Isso vai depender da atividade desenvolvida. Normalmente é necessário para o caso de empresas que exercem atividades comerciais, de produção e transporte de mercadorias e outros serviços.

Em muitos estados, essa inscrição pode ser obtida junto com o CNPJ, em um cadastro único. Esse registro está relacionado à inscrição no ICMS, que é o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços.

7.9 Órgão da classe

Dependendo da atividade desenvolvida pela sua empresa, você deverá solicitar o registro em órgãos de classe, como o CRA, CREA, CRM, CRC, entre outros. Desse modo, você deverá verificar em qual conselho de classe a sua empresa deverá se inscrever e entrar em contato para fazer o registro junto a esses órgãos.

7.10 Certificado digital

Atualmente, as empresas precisam obter um certificado digital para emitir as notas fiscais eletrônicas. Existem dois tipos: A1 e A2, sendo o A1 o mais utilizado, direcionado principalmente a prestadores de serviços. 

O certificado digital nada mais é um documento eletrônico que carrega dados sobre a pessoa que o emitiu. É uma forma de comprovar a autenticidade de um documento digital, garantindo a segurança nas transações de dados online.

8. O que levar em consideração antes de abrir uma empresa?

Nesse conteúdo você já ficou sabendo de vários aspectos que devem ser considerados para abrir a sua empresa. Além dessas informações que já apresentamos, você deve estar ciente de alguns fatos antes de começar a trabalhar com o seu negócio.

É preciso ter certeza que existe um mercado consumidor para aquilo que você vai oferecer. Para isso, é fundamental fazer uma pesquisa de mercado e conhecer quem são os clientes, qual o seu comportamento e quanto eles estão dispostos a pagar pelo seu produto ou serviço.

Outra dimensão que deve ser considerada é o fluxo de caixa. Para isso, você deve ter conhecimento de todos os custos envolvidos tanto na abertura da empresa quanto para mantê-la em funcionamento.  

Para uma gestão mais eficiente, é recomendado investir um software de gestão empresarial para registrar as movimentações e emitir relatórios não só referente à área financeira, como também outras áreas da empresa.

Mesmo estando no início das atividades, o investimento em marketing é fundamental. Afinal, quanto mais investir em marketing, mais as pessoas conhecerão o seu negócio. Por isso, será preciso contratar um profissional para desenvolver um website para a sua empresa, além de investir em outras formas de divulgação. 

Por fim, é importante ter paciência, já que a abertura de uma empresa costuma demorar mais de um mês, cerca de 30 a 45 dias, em média, a contar da data em que a solicitação foi protocolada na Junta Comercial. Esse prazo também depende da cidade, já que em Belo Horizonte, por exemplo, costuma demorar cerca de 70 dias enquanto em São Paulo o prazo médio é de 47 dias.

Mas esse prazo não é bem exato, está sujeito ao funcionamento da estrutura burocrática dos órgãos públicos responsáveis pela liberação dos registros.

9. Erros mais comuns ao abrir uma empresa

O primeiro erro comum e que leva muitas companhias à falência é a falta de um plano de negócios. Você viu no início desse conteúdo o como ele é importante para guiar suas decisões e posicionamentos.

Outro erro muito comum é achar que pode carregar o negócio sozinho nas costas. Para se manter estável e em crescimento em um mercado, o ideal é construir relacionamentos, seja por parcerias, ou alianças estratégicas.

Além disso, as pessoas que trabalham com você também devem ser valorizadas. Quanto mais os funcionários se sentirem valorizados, mais eles vão ajudar o seu negócio a crescer.

Antes de buscar um financiamento ou um empréstimo, é necessário fazer uma análise criteriosa dos gastos que serão necessários para a abertura do seu empreendimento, e só então definir o valor necessário a solicitar o crédito, estando sempre atento às taxas de juros e condições de pagamento.

Outra falha que deve ser evitada é desconsiderar o mercado consumidor. Não adianta ter uma ideia incrível se não tiver mercado para que ela possa ser vendida. Por isso advertimos novamente sobre a necessidade em se fazer uma pesquisa de mercado antes de colocar a empresa em funcionamento.

Assim, de acordo com os resultados destes testes, você pode fazer certas modificações no produto ou serviço e atrair e fidelizar o cliente mais facilmente.

Por fim, um dos erros mais corriqueiros é misturar as finanças pessoais com as empresariais. Isso sempre acaba em confusão, então para evitar esse problema, é melhor separar o patrimônio desde o início. É preciso manter uma gestão profissional do seu negócio, inclusive sabendo separar questões familiares e pessoais das profissionais.

Agora que você já entendeu como abrir uma empresa, sabe que essa decisão não deve ser tomada por impulso. É preciso estudar o mercado, definir as diretrizes financeiras, ter ciência de questões burocráticas, da quantia de capital social necessária para começar, e não pode desconsiderar os parceiros estratégicos. Afinal, num mercado tão competitivo como o que temos hoje em dia, ninguém sobrevive sozinho.

Então, após esses 9 passos, acreditamos que você já esteja preparado para começar. Sabendo disso, não perca mais tempo! Comece agora mesmo a tirar as suas ideias do papel e comece a elaborar o seu plano de negócios para depois seguir as próximas etapas.  

Você gostou deste texto sobre como abrir uma empresa? Então aproveite a visita para assinar a nossa newsletter. Assim, você vai receber as nossas atualizações na sua caixa de entrada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.